Presidente do Huesca acusado de corrupção e fraude


O presidente do Huesca, Agustín Lasaosa, e o chefe do departamento médico do clube, foram libertados sob fiança, acusados dos crimes de corrupção, branqueamento de capitais e fraude.

Além de Lasaosa e do médico Juan Carlos Galindo, o ex-futebolista do Valladolid Borja Fernández, foi também ouvido pelo juiz e libertado sob fiança, saindo acusado de crimes que não foram tornados públicos.

Recorde-se que além destes três arguidos, a polícia deteve o ex-jogador do Real Madrid Raúl Bravo, que seria o cabecilha de uma organização suspeita de manipular resultados, contando com a cumplicidade de Ínigo López, jogador do Deportivo da Corunha, Samuel Saiz, jogador do Getafe, por empréstimo do Leeds, e Carlos Aranda, ex-jogador de várias equipas da primeira divisão.

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.